HOME|EDITORIAL|Sem pressa, mas com velocidade
Sem pressa, mas com velocidade
Sem pressa, mas com velocidade

Data: 20/04/2017

De antemão sabíamos que seria uma partida complicada, desde uma má arbitragem, com um número excessivo de faltas que tornariam o jogo truncado em si, parando a bola. O empate favoreceria o Goiás.

Se aliarmos tudo isso ao fato do Sornoza desperdiçar uma penalidade máxima no início do jogo, certamente o sofrido coração do torcedor Tricolor deve ter pensado em um dos nossos mantras: “se não for sofrido, não é Fluminense”.

De certo, não fizemos um bom primeiro tempo, afobados por vezes, espessos por outras.  Trocou-se a velocidade pela pressa, o que gerava a afobação no último passe.

O intervalo foi decisivo. Pausa, novo oxigênio e cuca fresca na entrava do Marquinhos Calazans no lugar do tímido Léo.

O jogo começou a fluir, a troca de passes inteligentes, extremidades, dois bons cruzamentos com a participação do Calazans para cabeçadas perfeitas que definiram o 2 a 0, com a zaga de artilheiros, gols de Henrique e Nogueira. O Fluminense havia trocado a pressa pela velocidade.

Num contra-ataque cuja origem esteve numa roubada de bola nas proximidades do grande círculo pelo nosso jovem atacante Pedro, o mesmo concluiu após jogada de velocidade de Wellington, que não esteve no seu melhor dia.

3 a 0 com a torcida feliz, 20 mil presentes que saíram do estádio entusiasmados, com a certeza da construção de um time de futuro.

Classificados para a próxima fase da Copa do Brasil, o Fluminense terá o Grêmio como adversário. Sem lugar a qualquer dúvida, um adversário de tradição.

E neste sábado, novamente Maracanã (há quanto tempo o Fluminense não disputava dois jogos seguidos no Maracanã?), o Clube de Regatas Vasco da Gama pela frente, na disputa por uma das vagas na final do Campeonato Estadual.

O Observatório do Fluminense sabe e entende o pouco tempo para a total recuperação dos jogadores. Nosso time, o mais goleador do Brasil neste momento, mais uma vez terá que tirar do entusiasmo e das palavras de Abel Braga a força para se transformar em guerreiro.

O time da Cruz de Malta tecnicamente é muito inferior ao nosso, mas não existe jogo fácil, menos ainda contra um clube que tem poderes ocultos na federação.

O Observatório do Fluminense alerta o Presidente Pedro Abad para que o Fluminense esteja sempre defendido contra interesses espúrios. Temos que estar com olhos bem abertos com relação às arbitragens e todo o seu entorno.

No sábado lugar de Tricolor é no Maracanã. Façamos a nossa parte e, se possível, novamente com a festa do talco, que brinda a nossa verdadeira identidade.

O Observatório do Fluminense observa sabendo de antemão que “a bola não entra por acaso!”.

 

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden