HOME|EDITORIAL|Por um Fluminense perene
Por um Fluminense perene
Por um Fluminense perene

Data: 11/06/2018

O Fluminense foi derrotado pela terceira vez seguida neste campeonato, ganhou apenas 1 dos últimos 12 pontos disputados. O script do ano passado parece se repetir: elenco curto, a falta de reforços de qualidade e salários atrasados.

Criticar o trabalho do treinador Abel Braga sem analisar esse script não é correto, simplesmente é desviar o verdadeiro foco.

O Presidente Pedro Abad está totalmente perdido e fazendo as escolhas e opções equivocadas. Ainda não descobriu, sequer admite que a direção de um Departamento de Futebol exige outros atributos muito além da boa vontade. Simplificar o discurso dizendo que a gestão do futebol tem que ser apenas profissional demonstra o quanto ele e a sua base de apoio político desconhecem a história do clube: pessoas como João Boueri, Dilson Guedes, Hugo Molinaro, Newton Graúna, Julio Dutra, Nilson Mattos, Antonio Castro Gil e Alcides Antunes lapidaram as esfinges dos títulos conquistados nos últimos 50 anos.

O Departamento de Futebol do Fluminense sempre teve à frente dirigentes amadores que sempre tiveram atitude, participação, conhecimento e luz... o verdadeiro olhar do dono, defendendo sempre o que fosse melhor para o Tricolor das Laranjeiras.

Hoje a Instituição vive debaixo dos “ensinamentos” a La Marcelo Teixeira, com discurso de Harvard, Cambridge, Oslo... Mas futebol é outra coisa, tem essência e transpiração, serve como bálsamo para os anseios da nossa torcida. Identidade é a palavra que define.

E o que vemos hoje? Desencontro, distância e um silêncio obtuso, temperados pela ignorância da prepotência, da soberba e da arrogância.

É muito grave a crise institucional que o clube vive, ou melhor, neste momento, o que resta dele.

“O tempo não para e o relógio marca” gritavam as antigas vozes do rádio. É o dever deste Observatório do Fluminense alertar e deixar essa chama bem acessa.

Não será através de Pedro Abad, nem de Mario Bittencourt, nem de Ricardo Tenório que o Fluminense recuperará a sua VERDADEIRA PERSONALIDADE. Eles significam o mais do mesmo, o retrocesso, a nova leva de senhores feudais.

Se faz urgente que a nossa torcida desperte no meio dessa tempestade ou será tarde demais.

O Fluminense necessita de escolhas, de definir o que quer ser: um clube que reencontre a sua VERDADEIRA PERSONALIDADE de clube grande, campeão e locomotiva do futebol brasileiro ou definitivamente faz a opção de, com sorte, ser mais um dos últimos da fila.

O Observatório do Fluminense não abre mão de continuar na luta por um Fluminense perene.

Venha conosco!

Compartilhe
  • Googlemais
comente
ORIEL GALDINO DA SILVA - 11/06/2018 às 19h23
UM ESQUEMA PARA O ABEL TIME NO ATAQUE ponta esquerda ponta direita centro avante no meio MEIO DE CAMPO um jogador na esquerda um no meio e um na direita esse esquema é pra pegar rebote DEFESA 4 jogadores mas um pode ir pro meio de campo pra liberar o jogador do meio pra auxiliar o centro avante assim teremos 4 no ataque 3 no meio não perdendo assim os rebotes e 3 na defesa AGORA TIME NA DEFESA os 3 do ataque na linha do meio do campo fixos pra pegar os rebotes e os outros 7 na defesa eles não são malucos de deixar 3 jogadores livres no meio da linha do campo e colocar o time deles todo no ataque porque se encachar um contra ataque vai ser fatal ESSE É MEU ESQUEMA FAÇA UM TESTE NOS TREINOS ESPERO TER AJUDADO
Responder
Flavio Chammas - 11/06/2018 às 19h05
Quem se dispõe?
Responder
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden