HOME|EM FOCO|Mônica Cury|Quanto vale um Wendel? (por Mônica Cury - "Um sentimento Verde, Branco e Grená")
  • Mônica Cury
    Mônica Cury
    Mônica Cury é jornalista pós-graduada em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte. Mineira de Juiz de Fora, curte mochilar pelo mundo e carrega a bandeira tricolor para onde quer que vá. Joga futebol, se arrisca no futevôlei, mas é craque mesmo na arte de torcer para o Fluminense.
Ver mais colunas
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
em foco • Por Mônica Cury • 27 jun 2017
Quanto vale um Wendel? (por Mônica Cury - "Um sentimento Verde, Branco e Grená")

Xerém tem sido um alento para o Fluminense. Nosso trabalho de base está valendo cada centavo de investimento. Os garotos que saem de lá estão ajudando diretamente nosso time profissional, além de ser uma das principais fontes de renda do clube.

De acordo com noticiários, Gerson rendeu aos cofres das Laranjeiras aproximadamente R$ 45 milhões (tínhamos 70% do passe) e Kenedy algo em torno de R$ 17 milhões.

A Caixa ofereceu ao Fluminense um patrocínio de R$ 11 milhões pela temporada. Em contrapartida tínhamos que fazer todas as transações financeiras através deste banco, o que poderia nos causar sérios prejuízos. Enquanto uma empresa vai nos render R$ 11 milhões em troca de exposição na camisa POR UM ANO, a gente vende um jogador mais ou menos e já tem em mãos o mesmo montante.

Por isso, sou a favor de altos investimentos em Xerém e na negociação de todos os jogadores que quiserem levar. Obviamente, por preços justos e que sejam bons para o Fluminense.

Eu tinha essa certeza. Até o Wendel aparecer.

Nosso camisa 37 tem me causado conflitos internos. Eu não quero vender o Wendel. Quanto vale um jogador como ele?

Vejo esses garotos se tornando “craques” de um dia para o outro e nesse pequeno intervalo já estão com um novo corte de cabelo, tatuagens, brincos, cordões e tudo que têm direito. É mais do que normal essa fama toda subir à cabeça, afinal, eles têm 20 e poucos anos. Alguns nem isso. Mas o Wendel não me parece cair nesse deslumbramento.

O garoto entra em campo como um veterano. Estreou num jogo difícil e parecia que estava mais calmo do que eu, sentada no sofá.

Não perde a concentração, não fica reclamando com árbitros apesar de sofrer faltas atrás de faltas, não se joga e não desaparece do jogo. Quanto vale esse cara?

Tem preço?

Eu quero ver esse garoto jogando uma Libertadores com a nossa camisa e não estou nem aí para quanto isso vai custar ao clube. Não ligo se tivermos que prolongar algumas dívidas, ou vender o time todo. O Wendel tem que ficar.

Se não trocar a concentração por cervejas, baladas e noites mal dormidas, estará na Copa de 2018. É o tipo de jogador que esses times europeus fazem questão. Inteligente, ótimo marcador, bom passe e ainda chega para atacar com certa qualidade. Faz tudo e mais um pouco. E sai de campo sem uma gota de suor.

Enrola os gringos mais um ano e meio. Deixa o moleque ganhar um título importante com a camisa tricolor, fazer história. Nós merecemos isso. Ele também.

 

VOLTAR PARA EM FOCO
Compartilhe
  • Googlemais
comente
Luiz Guilherme Siqueira - 30/06/2017 às 08h20
Mônica, o Wendel até pode sair do Fluminense, mas não por menos de R$ 200.000.000,00. Qualquer negociação fora dessa ordem de grandeza seria mentalidade de time pequeno. Saudações tricolores!
Responder
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden