HOME|EM FOCO|Julio Bueno|O Estádio do Fluminense (por Julio Bueno - "Por um Fluminense perene")
  • Julio Bueno
    Julio Bueno
    O Engenheiro Julio Bueno, amante da MPB, sambista convicto, passou parte da sua infância e juventude na Glória, um dos bairros mais emblemáticos do Rio de Janeiro. Pai e avô de gerações de Tricolores, leva o DNA do Fluminense no sangue há mais de 10 mil anos
Ver mais colunas
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
em foco • Por Julio Bueno • 05 jul 2017
O Estádio do Fluminense (por Julio Bueno - "Por um Fluminense perene")

Apesar da inconcebível, alarmante e enorme crise financeira que vivenciamos, o Fluminense precisa olhar para frente. Definir, de uma vez por todas, qual o projeto de futuro em que nos engajaremos. Uma das variáveis críticas é planejar o patrimônio que temos. E neste contexto, que estádio, ou estádios, chamaremos de nosso.

Quando falo estádios é que começo pelo Maracanã. Ninguém em sã consciência pode abdicar de jogar no templo do futebol mundial, muito menos sendo esse uma parte da nossa história. O Governo do Estado decidiu relicitar o Maracanã, quando a solução Lagardère era obviamente a melhor. Estimo que o desfecho levará um bom tempo para ser definido, isto é, entregar definitivamente para a operação de uma nova empresa.

O prejuízo de jogar no Maracanã que, parece, só se converte em lucro a partir de 25.000 expectadores, de acordo com as premissas negociais hoje em vigor, desestimula a que toda a temporada seja realizada no Estádio. Mas, é claro, e isso não pode ser descartado, que com uma nova operação e uma renegociação conveniente que tenhamos essa possibilidade.

Entretanto, ao olharmos para o futuro, mesmo que seja viável que todas as competições sejam jogadas no Maracanã, há uma discussão técnica a ser feita. Claramente, embora muito melhor do que outrora, o Estádio não pressiona o time adversário como as arenas existentes no país. Portanto, a menos que modificações sejam feitas, jogar todas as partidas gera, a priori, uma desvantagem técnica relevante ao Fluminense.

Portanto, o ideal é se ter uma opção de estádio com capacidade de 20.000 a 25.000 torcedores. De preferência, de propriedade do Fluminense e que possibilite à nossa torcida, com as características socioeconômicas que temos, ir aos jogos.

Edson Passos não atende a qualquer dos requisitos, quer seja de capacidade ou de atratividade para a nossa torcida. É um quebra-galho, como todos sabemos. No jogo contra o Chapecoense, jogar em Edson Passos foi uma desvantagem para nós. O campo estava horroroso, a chuva dificultou a chegada ao Estádio. Com todo o respeito, e eu estive nas arquibancadas, é puro heroísmo sair da zona sul do Rio em uma segunda-feira à noite, levar quase 2 horas no trânsito, chegar atrasado ao jogo e ainda ter que aturar o despreparo dos seguranças do Fluminense. Edson Passos é uma ideia de jerico, do tamanho dos que deixaram recentemente a Direção do Fluminense.

Portanto, dois problemas: primeiro de curto prazo, onde jogar o restante do campeonato brasileiro. A sugestão é que no Maracanã, pedindo a interferência do Governo do Estado para que, planejando levar para lá todos os jogos do Fluminense, se consigam condições que minimizem o prejuízo. Outra ação é mobilizar a justiça, tornando pública a discussão quanto à liminar concedida, aparentemente sem sentido, que nos tirou a vantagem de jogar no Maracanã com o contrato original, que livraria o Fluminense de qualquer prejuízo. 

Vale lembrar que não se pode esquecer de cotejar o prejuízo econômico com a vantagem técnica. Ao escolher Edson Passos tem que se considerar que, no limite, a vantagem técnica conseguida em jogar no outrora maior do mundo pode nos levar a lotá-lo. E a desvantagem de jogar no Estádio da Baixada, nem é bom falar aonde pode nos levar.

No longo prazo, a primeira alternativa a ser levada em conta é obviamente o histórico estádio das Laranjeiras, onde tudo começou, o Fluminense e o futebol brasileiro. Mesmo estando tombado, isso não impede uma negociação que preserve o patrimônio histórico, que está baseado na arquitetura das sociais. O resto pode ser adequado. Um estádio de 20.000 a 25.000 expectadores é possível ser construído, modificando as instalações da parte social. Vale lembrar que há duas estações de metrô muito perto de Álvaro Chaves. Precisamos insistir nessa solução. As demais são sonhos que devem ser avaliados economicamente. Estrutura em Xerém, Centro de Treinamento na Cidade de Deus, Laranjeiras, que é nosso inalienável berço, e um novo Estádio. Isso faz mesmo sentido para um clube com tantos problemas a equacionar?

O que não podemos é ficar parados. E entender que Edson Passos apequena o grande Fluminense.

  

VOLTAR PARA EM FOCO
Compartilhe
  • Googlemais
comente
Luciano Calixto da Silva - 07/07/2017 às 15h40
O problema que no futebol carioca tudo fica só na intenção ou no papel, aqui não se planeja nada, e se planeja não é levado adiante.como acrefitar em dirigentes que jogam seme finais de um estadual em Xerém ,pra cinco mil pagantes e quase perderam um jogador como Gustavo Scarpa, que hoje no mercado vale no mínimo 40.000.0000,00 em um jogo pra 5.000 mil pagantes.sou afavor do fim dos estaduais pois são deficitário, aqui no então nem estádios e campos decentes os times de menor portes tem,aí os dirigentes do Fluminense deixam de jogar nas laranjeiras que cabem no mínimo 10.000pessoas pra jogar lá em Xerém, onde Judas perdeu às botas e não querem ter prejuízo.vejam o exemplo do urubu, alugou o estádio dá ilha em três jogos arrecadou 2.500.000. com lucro 1.000.000 ,o que falta nesses dirigentes é competência mesmo.
Responder
Antonio - 07/07/2017 às 12h07
Sou tricolor e nossa torcida é preguiçosa e cheio de pompa. A torcida não chega.junto e só sabe reclamar. Agora, essa maldita flusocio tem parcela de culpa enorme nesse caos. Um bando de.bandidos a governam, home, o Fluminense. Esses fatos é q estão apequenandl o nosso querido tricolor!
Responder
Claudio de Oliveira maciel - 06/07/2017 às 16h14
O que vem apequenando o fluminense, é a sua torcida , que vem sumindo jogo a jogo e não venham me dizer que é por causa do time, pois esse time vem disputando de igual para igual, com os demais. Detalhe, temos sido prejudicados , constantemente, pelas arbitragem e é aí que fica a diferença de pontos para os que estão acima , na tabela.
Qual foi a média de público em 2010 e 2012, anos recente em que fomos campeões? 10 mil,12mil. Tínhamos Fred,Conca, Tiago Neves entre outros. A torcida resolveu ficar nas poltronas e com isso dificulta qualquer administrador , conseguir investir, de maneira responsável, no futebol.
Não pertenço a nenhum clube político do clube, apenas frequentador das arquibancadas e frequentador desde 1964.
Tenho que dar parabéns aos administradores, questão dando nó em pingo d'Água para gerir o clube.
Saudações tricolores.
Responder
Melquisedec Nascimento - 06/07/2017 às 11h47
Escorreito, o artigo!
Responder
Valterson Alves Botelho - 06/07/2017 às 02h07
Caríssimo Júlio, você sabe o quanto tenho lutado para vê-lo dirigindo o nosso clube. Como acredito muito em você, estarei junto na luta para que Laranjeiras seja o nosso espaço invencível. De 15 a 20 mil torcedores resolveria 90% de todos os nossos jogos da temporada. As grandes decisões seriam no Maracanã, divido entre os quatro grandes do Rio de Janeiro.
Responder
Diego - 09/07/2017 às 10h28
Só estão pensando nos torcedores da zonal sul
Celso - 05/07/2017 às 16h11
De acordo. Trabalhar em modernizar Laranjeiras é a solução mais inteligente em todas as áreas. Iniciemos as negociações com as autoridades e possiveis investidores ...... Já !!! Para frente Fluzão!!!
Responder
Hiram de Moura Rodrigues - 05/07/2017 às 15h05
Concordo plenamente com a reconstrução das Laranjeiras, já escreví uma vez sobre isso. Naturalmente, Júlio Bueno tem muito mais bagagem do que eu e fiquei feliz com a sua proposta Um abraço a todos os Tricolores de Hiram de Moura Rodrigues, Sócio e ex-Conselheiro do Fluminense..
Responder
Roberto1952 - 05/07/2017 às 13h53
Seria um sonho poder assistir jogos em Laranjeiras novamente!!! Seria uma nova era de união e engajamento da torcida com o clube!! Esse modelo já deu mais que certo com Atletico Mineiro , remodelado e em forma de caldeirão o nosso estádio seria uma atração das maiores pelo peso que carrega, nossa sede ganharia uma nova vida, um estádio nos moldes dos clubes ingleses como Liverpool seria fantástico, arquibancada inclinadíssima como sugere a imagem do texto!!Peço a Deus que esse sonho se torne realidade!!
Responder
Claudio Gomes - 05/07/2017 às 10h30
Problema é que a vaidade desse clube é enorme!! Independente de como for, precisamos de um estádio!! Vejo grupos políticos criticando a construção do CT até hoje, acho que queriam ver o Fluminense treinando a vida inteira nas Laranjeiras indo ao contrário dos grandes clubes brasileiros. Depois dessa exoneração do PA sinceramente, me fez lembrar os arranjos que existem em Brasilia, onde por pura vaidade e vontade própria temos um "presidente" que a qualquer custo quer continuar agarrado ao poder. Lamentável
Responder
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden