HOME|EM FOCO|Edgard Nascimento Neto|Inteligência, criatividade e ousadia já! (por Edgard Nascimento - “Testemunha da história”)
  • Edgard Nascimento Neto
    Edgard Nascimento Neto
    Carioca, Engenheiro, Tricolor desde sempre, fã incondicional do futebol. Frequenta os estádios desde 1959, aos cinco anos. De Laranjeiras, para o mundo.
Ver mais colunas
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
em foco • Por Edgard Nascimento Neto • 29 dez 2017
Inteligência, criatividade e ousadia já! (por Edgard Nascimento - “Testemunha da história”)

Salta aos olhos de todos aqueles que querem o melhor para o Fluminense, que o grande problema, realmente, não é a questão política.

Politiqueiros, politicagem, politicalha: nada disso.

O grande problema do Clube é o "FAZER": o que fazer, como, onde e quando fazer. Os percalços são percebidos, pois as ações que são desenvolvidas, não acontecem conforme o esperado, mormente quando o assunto é o futebol.

Os caminhos a serem percorridos pelo Clube apontam, logicamente, para uma gestão em moldes EMPRESARIAIS e PROFISSIONAIS. Não há mais espaço para contemplações.

Um termo referente ao trato empresarial define muito bem a situação: estamos diante de um problema de EXECUÇÃO.

A vinda de Paulo Autuori, para a Pasta do Futebol, sem dúvida foi uma boa contratação. É um nome que traz nova motivação para a temporada que se iniciará em breve. Com sua participação, serão tomadas decisões estratégicas e a amizade com Abel é mais um ponto positivo a ser exaltado. A procura pelo equilíbrio financeiro foi uma opção acertada. Os "engessamentos" e "asfixias" referentes aos contratos celebrados no futebol pela gestão anterior, com a valorização EXAGERADA de alguns atletas, são situações que pedem imediatas providências para serem resolvidas, além, é claro, de perseverança.

Porém...

Houve uma precipitada exposição de medidas a serem tomadas, quanto à permanência de jogadores para o próximo ano. Ao comunicar decisões, o Clube, certamente, desvalorizou alguns nomes, que poderiam ser boas moedas de troca para possíveis futuras transações com outros times.

Com a divulgação dos jogadores que não fariam mais parte dos planos, os quais foram chamados para acordos, os nomes de Cavalieri e Henrique mereceriam atenção especial, mormente Cavalieri, por sua qualidade técnica e sua história nas Laranjeiras. É impensável que seu reserva imediato, Júlio César, assuma a titularidade.

Aqueles que recebem altíssimos salários não podem ser excluídos simplesmente da folha de pagamento, como Cavalieri, Henrique e Marquinho. Isso é óbvio. Se eles possuem contrato, o Fluminense terá que pagar seus vencimentos, a não ser que haja acordo com os atletas, equacionando questões trabalhistas.

Como resolver este e outros assuntos? Com inteligência, criatividade e ousadia.

Que tal, também, ouvir a torcida? Ela é o maior patrimônio do Clube.

A essência do Fluminense é o futebol.

Saudações Tricolores.

Um excelente 2018 a todos!

VOLTAR PARA EM FOCO
Compartilhe
  • Googlemais
comente
Jose Roberto fonseca - 29/12/2017 às 13h20
Caro Edgar. Ouvir a torcida?. Ela sequer vai aos estádios, com o Flu tendo q cobrir prejuízos em todos os jogos.
Responder
Edgard - 02/01/2018 às 18h14
Prezado Jose Roberto, grato pelo seu comentário.
Quando eu disse que o Clube deveria ouvir a torcida, seria disponibilizar todos os canais possíveis para saber o que pensa o torcedor. Nosso setor de comunicação ainda é muito falho.
Quanto ao Maracanã, por exemplo, essa última sequência de jogos foi precipitada, pois com a Odebrecht praticando custos insanos, seria melhor jogar algumas partidas de apelo menor em outros estádios.
A torcida só comparece, em algumas partidas, super-ultra-mega-hiper estimulada, caso contrário, será prejuízo.
Abraços.
Saudações Tricolores.
Ronaldo - 29/12/2017 às 11h58
já não tem dinheiro não tem presidente,não tem técnico,não tem jogadores e mais a mais são jogadores que ganha muito e não vale nada .
Responder
Edgard - 02/01/2018 às 18h23
Amigo Ronaldo, obrigado por comentar.
Realmente, a gestão passada foi uma das piores. Fez contratos caros, fora da realidade, com alguns jogadores que não merecem os altos salários que recebem.
Na gestão atual ainda existem muitos erros e alguns acertos. A dificuldade é grande para corrigir o rumo.
Todos nós esperamos que com o equacionamento das dívidas, as coisas passem a melhorar.
Nada é fácil, porém acho que 2018 não será pior do que o ano que se findou.
Grande abraço.
Saudações Tricolores.
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden