HOME|EM FOCO|Thiago D’Aguiar|Chega de amadorismo! (por Thiago D'Aguiar - "De Tricolor para Tricolor")
  • Thiago D’Aguiar
    Thiago D’Aguiar
    Administrador formado pela Universidade Veiga de Almeida, pai do Gabriel, marido da Nathália, amante de samba, pagode, carnaval e futebol. E, é claro, muito apaixonado pelo Fluminense!
Ver mais colunas
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
em foco • Por Thiago D’Aguiar • 15 out 2018
Chega de amadorismo! (por Thiago D'Aguiar - "De Tricolor para Tricolor")
CHEGA DE AMADORISMO! (por Thiago D

Guerreiros,
 
Resolvi fazer este texto ainda na irritação do pós-jogo pois algumas coisas precisam ser ditas.

TUDO está errado no clube!

TODOS, de certa forma, temos culpa pelo que está ocorrendo.

Vou-lhes explicar.

Se hoje o clube está esta zona toda, não é só culpa dos dirigentes incompetentes que por lá passaram ou estão, mas também do torcedor que não fez a sua parte. Como? Indo votar.

Juro que entendo a maioria dos torcedores deixarem de ser Sócio Futebol por não acreditarem na gestão que lá está (ou estava), e nem terem a transparência necessária para continuarem pagando suas mensalidades. Mas nós torcedores temos que ter a consciência de que somente NÓS é que podemos, juntos, mudar este cenário. Somente xingar presidente na arquibancada não vai resolver. Temos que agir nas urnas, não podemos deixar esse nicho chamado Esportes Olímpicos "mandar" na votação do clube. Nós somos FUTEBOL e vamos fazer a torcida do futebol invadir as urnas e decidir o destino do Flu. Chega de amadores à frente do clube!

Outra coisa que precisa mudar urgentemente é o estatuto do clube. Tenho amigos pessoais no Conselho Deliberativo mas, infelizmente, são minoria nas votações e, por isso, muita coisa errada acaba passando mesmo eles sendo contra, como foi nas aprovações das contas de 2016. O estatuto do clube está defasado, ultrapassado, praticamente amador! Para se ter um impeachment, diz no estatuto que precisa da presença de, pelo menos, 150 conselheiros na reunião de votação. Só que este número é de uma época em que o clube possuía 300 conselheiros, ou seja, 50% do CD. Hoje, o clube conta com 200 conselheiros, logo, 50% seriam 100 conselheiros. Mas como o estatuto diz 150, então não há como ser menos e isso precisa ser corrigido para percentual. Isto é só um ponto que expus, tem muito mais.

Tem que colocar obrigatoriedade quando, em caso de má gestão financeira e administrativa, o presidente do clube durante este período, tenha que ser punido com bloqueio dos bens ou algo do gênero. Penso também que, o número de integrantes para se compor uma chapa (200 sócios contribuintes/proprietários), deveria ser expandido para um percentual de Sócio Futebol. Até porque, para se pagar uma mensalidade de contribuinte ou o título de proprietário, é muito caro para os dias atuais.

Precisamos também, colocar uma estrutura mais empresarial no clube e retirar das mãos do presidente o poder absoluto que o mesmo tem e distribuí-lo da mesma forma que temos nas empresas. Ou o clube se profissionaliza ou fechará as portas no futuro. O futebol de hoje não é mais para gestores amadores e nem para estatutos defasados.

Por fim, nesta estrutura empresarial que acredito ser a melhor para o Fluminense, o clube tem que começar a estipular, e cobrar, metas dos seus gestores, treinadores e jogadores. Vamos colocar cláusulas contratuais onde os jogadores terão um percentual mínimo de aproveitamento em clássicos, competições nacionais e internacionais para receberem bonificações por cada meta atingida e, se fizerem abaixo do percentual mínimo, multa nos jogadores e comissão técnica além, é claro, passível de demissão dos dirigentes da área. Nos últimos anos, só temos visto um Fluminense entrando nos clássicos como se fosse só mais um jogo enquanto os adversários entram em campo correndo atrás da bola como se fosse um prato de comida. Eles (nossos técnicos e jogadores) podem encarar os clássicos como mais um jogo, mas nós torcedores e os números dos confrontos (que virarão estatísticas após o apito final) encaramos todos esses jogos como finais de mundial. Esse "pouco caso" nos clássicos tem que acabar.

Tricolores, ou nos unimos nas urnas em 2019 ou daqui a alguns anos não teremos mais o nosso amado Fluminense.

A decisão está em nossas mãos.

Saudações Tricolores.

VOLTAR PARA EM FOCO
Compartilhe
  • Googlemais
comente
Ubirajara Nascentes Alves - 15/10/2018 às 16h54
Gostei Thiago!! O Fluminense é time grande e não pode se acomodar dessa forma.... "tá bom se não cair e garantir uma Sul Americana...", chega !!!!
Ubirajara, co-fundador da PetroFlu.
"PetroFlu, o amor ao Tricolor é a nossa energia!"
Responder
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden