HOME|NOTÍCIAS|Da ascensão à indisciplina: Wendel leva bronca de Abel e vira problema no Flu
Debate • Por Edgard Maciel de Sá - GloboEsporte.com - Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C. • 13 out 2017
Da ascensão à indisciplina: Wendel leva bronca de Abel e vira problema no Flu

São apenas dez meses de futebol profissional. Uma ascensão meteórica que fez de Wendel um dos principais jogadores do Fluminense em 2017. Mas, na última quinta-feira, aquele que costumava ser a solução virou um problema. O volante ficou fora do Fla-Flu por indisciplina e recebeu um aviso do técnico Abel Braga: ou volta a se dedicar e se enquadra ou está fora dos planos do clube.

Com 45 jogos e seis gols em 2017, o volante passou de xodó da torcida a incógnita. Até Abel, conhecido por sempre defender seus jogadores, perdeu a paciência e abriu o jogo. Na manhã da última quinta, Wendel treinou com os não relacionados no CT. Segundo as informações recebidas pelo treinador, o volante foi quem mais se dedicou. Um retorno no próximo domingo, contra o Avaí, não está descartado. Ainda mais com a suspensão de Douglas. Mas para reconquistar Abelão será preciso mais. Entenda o cenário abaixo:

 

ASCENSÃO METEÓRICA

Wendel era desconhecido de grande parte da torcida tricolor até janeiro, quando começou a treinar entre os profissionais após a disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior. A ascensão foi fulminante. Fez sua primeira partida como titular em fevereiro e na reta final do Carioca já era um dos destaques da equipe. Em maio, renovou seu contrato até 2020. Em cinco meses, seu salário pulou de R$ 4 mil para R$ 70 mil. Uma mudança radical de vida.

 

CONEXÃO BARRA-CAXIAS

Morador da Barra desde que subiu para os profissionais, Wendel é figurinha carimbada em Duque de Caxias, onde nasceu e cresceu. As postagens na Baixada Fluminense são rotina em seu Instagram. Assim como às vezes surgem no WhatsApp vídeos do jogador aproveitando a noite local. No clube, há quem diga que ele está curtindo como nunca a fama na cidade. Em entrevista recente ao GloboEsporte.com, Abel comentou o assunto.

- Ele não deixou de morar aqui perto do CT. Mas ele tem ido constantemente a Duque de Caxias. Hoje futebol exige repouso, concentração, foco. Se ele está indo para fora, tem de se policiar aqui quanto ao profissionalismo - disse o treinador no fim de setembro.

 

ATRASOS CONSTANTES

O afastamento do Fla-Flu se deu após alguns atrasos. No Fluminense, a norma para os jogadores é chegar 30 minutos antes do horário marcado para o treino. É o tempo necessário para se arrumar e estar pronto na hora determinada. Quando a atividade acontece às 10h30, os atletas precisam estar no CT até 10h. Wendel vinha chegando sempre em cima da hora, faltando poucos minutos para o trabalho começar.

 

FORA DO FLA-FLU

A informação de que Wendel estava fora do clássico até demorou a vazar. Foi publicada pelo GloboEsporte.com às 12h04 de quinta-feira. Mas há uma semana ele já vinha treinando entre os reservas no CT do Fluminense. Não foi algo de última hora. E também não é por prazo indeterminado. Abel cogita escalar o volante entre os titulares contra o Avaí, no próximo domingo, no Maracanã. Douglas está suspenso.

 

JANTAR DE GRAÇA

Abel apostou um jantar com dois membros de sua comissão técnica na última quinta. E comeu de graça após o Fla-Flu. O treinador disse que Wendel seria o único jogador dentre os não relacionados a não ir ao Maracanã. Dito e feito. Tirando os que se recuperam de cirurgia, o que é natural, todos os outros estiveram no vestiário. Casos, por exemplo, de Henrique, Renato Chaves, Pierre, Frazan, Matheus Phillipe, Léo, Marquinho... Até Matheus Pato esteve no estádio. Só faltou Wendel.

 

NEGOCIAÇÃO COM O PSG

Depois do destaque no primeiro semestre, a queda de rendimento de Wendel se acentuou nos últimos meses. E coincidiu com o interesse do Paris Saint-Germain. No fim de agosto, surgiu a notícia da negociação com o clube francês. O presidente Pedro Abad chegou a ir até Paris e deixou tudo bem encaminhado. O fechamento da janela europeia, no entanto, fez o PSG priorizar outras contratações.

O negócio segue evoluindo e os departamentos financeiros continuam em contato. O contrato ainda não foi assinado por divergências na maneira pela qual o Flu pretende antecipar o valor da transferência. O acordo inicial previa a venda por 10 milhões de euros (cerca de R$ 37 milhões) e a ida do volante para a França apenas em janeiro.

 

OPINIÃO DA DIRETORIA

Passada a entrevista do técnico Abel Braga no Maracanã, o gerente de futebol Alexandre Torres falou sobre a situação de Wendel. Segundo Torres, o Flu espera que o volante volte a jogar em alto nível.

- As portas para os jogadores nunca estão fechadas. Jogador tem que se garantir dentro de campo. Não sou eu que vou falar se o Wendel vai voltar a jogar pelo Flu ou não. Ele está trabalhando e treinando diariamente. Se mostrar nos treinamentos que tem condições de voltar, não vejo motivo para não escalar. É um jogador que já mostrou o que pode fazer. A gente espera que ele dê o máximo e volte àquele nível. Ele ficou fora por opção técnica e tática do Abel. Ele falou que o Wendel não estava cumprindo aquilo que ele gostaria e escolheu outro jogador que ele acreditava viver um melhor momento - frisou o dirigente.

 

OPINIÃO DOS JOGADORES

Em seguida, foi a vez de o atacante Henrique Dourado comentar o caso. O camisa 9 disse que o afastamento não foi por falta de aviso e destacou a mudança radical na vida de Wendel.

- Não foi falta de aviso. Sabemos da sua qualidade. Foi uma mudança muito radical de vida. Tem que ter um pouco de maturidade.

- Da mesma forma que foi rápido alcançar um patamar alto, a queda é ainda mais rápida. Temos que resgatá-lo. Não sabemos exatamente o que passa na cabeça do menino. Mas o importante é que deixamos claro que queremos estar com quem está comprometido conosco.

- Foi uma decisão do Abel, junto com a comissão técnica. Mas é um grande jogador, que precisa ter um pouco de tranquilidade. A carreira dele está só no início - disse o Ceifador.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
vandair - 14/10/2017 às 18h01
apoio Abel pois quem recebe um salário tem compromisso com empregador isso inclui todos que assina um contato de trabalho
Responder
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden