HOME|NOTÍCIAS|Campeão e artilheiro, craque do sub-11 do Flu se divide entre o futsal e o campo
Nas Laranjeiras • Por Larissa Keren - Foto: Reprodução / TV Cabo Branco • 28 nov 2017
Campeão e artilheiro, craque do sub-11 do Flu se divide entre o futsal e o campo

Foi difícil segurar Matheuzinho na final da Taça Brasil de Futsal Sub-11, que aconteceu no último fim de semana, em João Pessoa. O jogador do Fluminense marcou três dos quatro gols do time na final da competição, quando o Tricolor venceu o Santa Cruz por 4 a 1. O pequeno atleta marcou, driblou, comandou o grupo, pediu calma e estava bem ciente do que tinha que fazer para vencer. Mesmo com apenas 11 anos, Matheuzinho já tem uma experiência com a bola. Ele treina tanto futsal, como futebol de campo, e tem Ronaldinho Gaúcho como referência.

O menino de Madureira ficou feliz com a vitória do seu time por se tratar do primeiro campeonato nacional da categoria organizado pela CBFS.

- Foi muito duro. Todos os campeões reunidos, de todos os estados, é duro pra caramba. Estou muito feliz. Muito bom ser o primeiro campeão do sub-11. Sei que fizemos história, comemorou Matheuzinho.

A qualidade do menino chama a atenção. E esta qualidade é fruto de muita dedicação. Não por acaso, ele é promessa de novo ídolo da Molecada de Xerém jogando tanto futsal como futebol de campo. Uma rotina cansativa, mas prazerosa e que tem em Ronaldinho Gaúcho uma referência.

- É cansativo, porque cada dia tem um treino. Seja na quadra ou no campo. São pisos diferentes, mas a gente vai levando. Eu me inspiro no Ronaldinho - emendou Matheuzinho, lembrando que o R10 também começou no futsal e depois brilhou nos gramados.

O pai Marcos Barreto, que esteve em João Pessoa acompanhando a Taça Brasil de Futsal Sub-11, agradeceu a receptividade que o garoto teve em João Pessoa. Ele também relembrou o esforço que o menino faz para jogar futebol.

- Muito gratificante. Só Deus sabe a nossa correria como é. Ele pra vir pra cá fez um sacrifício. E ele também estava com o tornozelo ruim. Conseguiu se recuperar, graças a Deus, e veio participar dessa competição. E Deus honrou ele - afirmou o pai.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden