HOME|NOTÍCIAS|Fluminense 2 x 1 Nova Iguaçu (por Paulo-Roberto Andel - Panorama Tricolor)
Artigos • Por Paulo-Roberto Andel - Panorama Tricolor - Foto: Lucas Merçon - Fluminense F.C. • 12 mar 2018
Fluminense 2 x 1 Nova Iguaçu (por Paulo-Roberto Andel - Panorama Tricolor)

Com vinte minutos, a partida já estava sob controle tricolor: o Fluminense fez 2 a 0 com facilidade e tranquilidade sobre o Nova Iguaçu, em sua volta ao ex-Maracanã – melhor do que nada ou Edson Passos, ou Los Larios. Bloom! Pedro fez um gol de artilheiro, entrando e matando – precisamos de uma referência, mas não podemos queimá-lo. Reginaldo marcou de cabeça livre, tranquilo, com categoria. Robinho começou muito bem, Gilberto também, e Sornoza quase marcou um belo gol de falta.

Depois o ritmo caiu, o que parecia natural. O Nova Iguaçu não ameaçava e o Flu administrava o jogo na cadência da Bossa Nova, esperando algum ânimo do adversário para poder encaixar o contragolpe, o que efetivamente não aconteceu. O terço final do primeiro tempo foi com o Tricolor tocando a bola, uma vez ou outra atacado e só. Júlio César desceu para o vestiário sem fazer uma única defesa. Ah, Jadson sofreu pênalti no finzinho da etapa, naturalmente não marcado – estamos acostumados. Robinho piorou.

No segundo tempo, até a parada técnica não havia acontecido absolutamente nada de relevante. E então veio o gol do Nova Iguaçu em seu primeiro chute na direção do gol, contando com uma falha monumental de JC dando rebote para a conclusão. O placar de 2 a 1 é sempre um perigo para quem está vencendo, pois dá gás extra ao time que está em desvantagem. Contudo, o cenário não se modificou: o Fluminense continuou tocando a bola de forma modorrenta, minimamente com mais disposição ofensiva, enquanto o Nova Iguaçu permanecia travado. O gol foi fogo de palha.

Para tentar melhoras, Abel pôs Matheus Alessandro no lugar do vaiado Robinho, em performance piorada na etapa final, tentando aumentar a velocidade do time. E Matheus Norton com Pablo, saindo Pedro e Gilberto, mas sem efeito para reverter a drástica queda de produção em relação ao começo do jogo. Vencemos mais uma vez, não convencemos com esta atuação, mas é melhor do que ter empatado com o Volta Redonda ou perdido para o Macaé. No entanto, a vitória não pode mascarar os problemas que todos sabemos ter. O final foi um treinão.

O resultado final, ainda que sobre um adversário humílimo e obtido sem brilho, dá força psicológica ao elenco para a decisão de vaga contra o Avaí na próxima quinta-feira. Reverter a vantagem do time catarinense é plenamente possível. Com MJ em campo, a dedicação é 200%.

Meu abraço e apreço eternos aos 3.800 heróis da arquibancada. Pelo Flu, eles passam por cima do preço, do horário estapafúrdio de domingo à noite, do mar de negatividade da internet, dos riscos numa cidade largada onde mal se vê policiais em 99% dos bairros ao fim do dia – imagine se as condições fossem melhores para os admiráveis maníacos tricolores. Os presentes mereciam um Flu mais aplicado no segundo tempo. Todo mundo, aliás.

Senhor Abad, traga os reforços de zaga, meio e frente duma vez que a gente avança. Atitude!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden