HOME|NOTÍCIAS|Com garra e com alma (por João Garcez - blog Terno e Gravatinha)
Artigos • Por João Garcez - blog Terno e Gravatinha - Foto: Mailson Santana - Fluminense F.C. • 03 ago 2018
Com garra e com alma (por João Garcez - blog Terno e Gravatinha)

A torcida do Fluminense viveu uma noite inesquecível no Maracanã. O tetracampeão brasileiro, em sua sétima participação na Sul-Americana, pavimentou em três cores sua caminhada para as oitavas-de-final ao bater os uruguaios do Defensor num fim de jogo eletrizante, que contou com leve toque sobrenatural.

Foi instante depois de terem sido amarelados que Digão e Sornoza, como que tomados por uma fúria incontrolável, fizeram os gols que deram ao Tricolor a boa vantagem no confronto – o do equatoriano, uma pintura, olímpico, com a bola descrevendo uma curva só interrompida com o chacoalhar da rede.

Vitória justíssima de um time que só se preocupou em jogar futebol, contra uma equipe que veio ao Rio de Janeiro exclusivamente para praticar o antijogo, matando o tempo com recursos de toda ordem. Jogando assim, seu gol não sairia, como não saiu.

O Flu, por sinal, completou seis jogos sem ser vazado contra times internacionais, por esta competição. A última vez foi em 2009, na semifinal contra o Cerro Porteño, quando Gum e Digão já montavam a dupla de zaga do então futuro finalista.

A torcida fez a parte dela, apoiando a equipe durante toda a partida e vaiando a catimba adversária. A massa pó de arroz é, disparadamente, a mais vibrante, criativa e participativa do Rio de Janeiro. Quando mais se precisa do seu grito, ela sempre dá o recado.

Sornoza foi o grande personagem da noite. Já jogava bem, procurando abrir espaços para furar o muro de contenção formado pelas linhas de defesa dos uruguaios. O Flu chegou lá em duas cobranças de escanteio, mas poderia ter arriscado mais de fora da área e feito mais jogadas de fundo, embora Léo não faça nem sombra a Gilberto, desfalque de última hora, devido a um problema muscular.

Fluminense 2 x 0 Defensor será sempre lembrado pela obra-prima do Papá e pela superação do aguerrido time tricolor, tão desejoso de fazer algo diferente no semestre, embora a vontade esbarre nas limitações do elenco, que, contudo, não se entrega.

O Flu se enche de novo de moral e parte pra cima do Bahia, domingo, às 19h, também no Maracanã.

Jogo para consolidar o bom momento.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden