HOME|NOTÍCIAS|Daniel retorna ao Flu e busca nova chance: “Quero mostrar o meu valor”
Na Mídia • Texto e foto: Marcello Neves - LANCE! • 06 ago 2018
Daniel retorna ao Flu e busca nova chance: “Quero mostrar o meu valor”

O telefone toca e o aviso é direto: você está de volta ao Fluminense. As malas são arrumadas rapidamente e o caminho de São Paulo até o Rio de Janeiro dura 8h de carro. A distância entre Itápolis até Laranjeiras é de 764 km, mas para Daniel Simões foi de três anos - ou alguns empréstimos. Com o fim da Via Dutra, o meia conversou com o LANCE! e comemorou a grande chance da carreira: uma nova oportunidade onde foi formado.

- Minha expectativa neste retorno é a melhor possível. Saí no meio da Série B e estava jogando bem, tenho a expectativa de repetir o que fazia no Oeste. Dar passe para gol, fazer gol... Antes falavam muito que eu precisava de rodagem, de experiência, agora acho que consegui isso e quero mostrar o meu valor.

Sem o apelido de Danielzinho e agora carregando o sobrenome Simões, retorna para suprir a maior carência do elenco. Com Luquinhas indo para o Oeste (SP), Júnior Sornoza sobrou como único meia de origem. Daniel se coloca à disposição de Marcelo Oliveira para atuar ao lado do equatoriano, além de exaltar o golaço olímpico marcado pelo seu novo companheiro.

- Ele (Sornoza) fez um golaço, é indiscutivelmente um dos mais bonitos da história do Fluminense e do Maracanã, porque gol olímpico não é todo dia. Podemos jogar juntos, dá para a gente jogar, mas tudo fica a critério do professor Marcelo (Oliveira). Eu e Sornoza nos movimentamos bastante e sempre dá para jogar junto com jogadores de qualidade.

O surgimento de Daniel no Flu começou de maneira empolgante. Campeão Brasileiro Sub-20 em 2015, e como camisa 10, subiu ao profissional com expectativa, mas recebeu críticas pela sua parte física. Era considerado "franzino demais" e não foi aproveitado pelos vários treinadores que passaram pelo clube. Após rodar na Série B, se diz pronto para deixar esse rótulo para trás.

- Quem me olhar atualmente ainda vai falar que sou franzino. Visualmente é isso, é o meu biotipo, vou fazer o quê? Eu peguei mais força, mais explosão, porque isso se pega jogando e ainda vou ter mais. Você vê que os jogos da Sul-Americana são pegados, e na Série B também todos são. É muito chutão, bola no alto e você acaba desenvolvendo o físico.

Daniel também lembra de outro motivo para comemorar o seu retorno: ser tricolor, como o próprio deixa claro. Seu perfil nas redes sociais também não deixa dúvida. O meia é categórico ao dizer que volta "para o clube que sempre sonhou em atuar" e agradece ao apoio dos torcedores que comemoram a notícia do seu retorno.

- Eu vejo com muita felicidade. Todo mundo sabe que sou um tricolor fanático, torço desde pequeno, acompanho todos os jogos. Vi a Libertadores (2008), vi a Sul-Americana (2009), comemorei na Copa do Brasil (2007)... Eu jogo no clube em que sempre sonhei, que tenho no meu coração e quero mostrar para a torcida isso.

 

Confira outros trechos da entrevista de Daniel para o LANCE!:

 

LANCE!: Houve uma frustração com a sequência de empréstimos?

Daniel: Falar que fiquei frustrado é uma coisa difícil, mas ficava aquela expectativa. Quando eu era emprestado, não ficava feliz, mas usava aquilo como motivação para fazer o meu melhor e poder voltar a jogar no Fluminense. Sempre pensava em me firmar no Flu.

 

Qual a lição que você tirou desses empréstimos?

Evolui bastante em questões do próprio jogo. Marcar mais, saber enfrentar um jogo mais pesado, atuar em outras posições. Joguei de volante, de lado de campo, de meia... é tudo questão de aprendizado. Posso jogar em mais de uma posição e fiz muitas vezes isso no Oeste.

 

Você atuou em várias posições no Oeste, mas em qual se sente mais à vontade?

Sou meia de origem, armador, que joga entre os volantes e atrás do centroavante. Gosto de enfiar bolas para os atacantes, para os laterais. Faço a construção de jogo. A torcida pode esperar que vou dar o meu melhor em todos os jogos. Sempre dei a vida, tanto na frente, quanto na defesa. O que eu puder fazer dentro de campo, vou fazer. Empenho não vai faltar.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden