HOME|NOTÍCIAS|Fluminense encaminha acordo para usar dinheiro de Richarlison na quitação de dívida por Marquinho
Finanças • Por Hector Werlang - GloboEsporte.com - Foto: Nelson Perez / Fluminense F.C. • 10 set 2018
Fluminense encaminha acordo para usar dinheiro de Richarlison na quitação de dívida por Marquinho

Richarlison foi comprado pelo Everton em 24 de julho por 45 milhões de libras (R$ 222,9 mi). Desde então, o Fluminense buscou informações do negócio feito pelo Watford para receber os 10% do lucro obtido pelo time inglês a que tinha direito (cerca de R$ 17 mi).

E, finalmente, houve avanço. Há um acordo encaminhado para usar parte da verba na quitação da dívida do Tricolor com a Udinese, da Itália, referente à negociação do volante Marquinho em 2016.

Explica-se: Gimpaolo Pozzo, proprietário da Udinese, é pai de Gino Pozzo, dono do Watford. Depois de alguma resistência da família, o Flu conseguiu convencê-la a abater o que deve ao time italiano do que tem a receber do inglês. Marquinho, em negócio feito na gestão Peter Siemsen, custou 1 milhão de euros (R$ 4,6 milhões, na cotação atual) - a última atualização dos juros apontou débito de 1,3 milhão (R$ 6 milhões, na cotação atual).

O entendimento entre as partes é fundamental para evitar que a Fifa aplique punição ao Flu. Afinal, sem receber o que tinha direito, a Udinese denunciou o caso. Em contato com o GloboEsporte.com, um porta-voz da entidade máxima do futebol confirmou o processo e disse que uma decisão quanto ao pagamento foi comunicada aos clubes em 15 de fevereiro. Como o débito ainda não foi quitado, o Comitê Disciplinar avalia o que fazer. Daí a urgência do time brasileiro em resolver a questão.

Pelo apurado pelo GloboEsporte.com, o Everton pagou 45 milhões de libras (50 milhões de euros) para contratar Richarlison. Como desembolsou 12,5 milhões de euros pelo jogador, o Watford lucrou 37,5 milhões de euros. É desse valor que o Tricolor terá direito a 10%: 3,75 milhões de euros (R$ 17 milhões).

Depois de oficializar o acerto, o Fluminense espera receber o restante - ainda sem data prevista. A entrada de recursos é fundamental para amenizar a crise financeira. Nesta segunda-feira, o clube não conseguirá pagar os salários e o débito aumentará: dois meses de CLT com os funcionários e dois meses CLT mais três de direitos de imagem com os jogadores.

 

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden