HOME|NOTÍCIAS|Fluminense recebe primeira parte da venda de João Pedro; Negócio pode chegar a R$ 44,6 milhões
Finanças • Por Hector Werlang — GloboEsporte.com - Foto: Mailson Santana/Fluminense FC • 06 dez 2018
Fluminense recebe primeira parte da venda de João Pedro; Negócio pode chegar a R$ 44,6 milhões

O Fluminense, finalmente, começou a receber pela venda do atacante João Pedro, de 17 anos. Após a negociação com o Watford, da Inglaterra, e o processo burocrático para a antecipação do dinheiro serem concluídas, o Tricolor teve depositada a primeira parte da verba na última quarta-feira. O negócio pode chegar a 10 milhões de euros (R$ 44,6 milhões).

Foi no dia 16 de setembro que os clubes acertaram a transação da promessa de Xerém. Em Londres, o presidente Pedro Abad e o empresário Frederico Moraes, representante do atleta, fizeram o acordo.

Por se tratar de um jogador menor de idade e extracomunitário, a negociação demorou a ser finalizada. Após a aprovação da Football Association (FA) - a federação inglesa -, o time carioca conseguiu a antecipação da primeira parcela de 2,5 milhões de euros (R$ 11,1 milhões) em uma instituição financeira. Foi esse dinheiro, descontado os juros, que entrou na conta tricolor na quarta.

O negócio tem uma série de gatilhos, a depender do desempenho de João Pedro, que podem aumentar o valor da venda.

- Primeira parcela no ato da venda: 2,5 milhões de euros.

- Quatro bônus de 1 milhão de euros pelo desempenho no Flu.

- Um bônus de 1,5 milhão de euros ao obter a licença para jogar na Premier League.

- Dois bônus de 1 milhão de euros pelo desempenho no Watford.

A negociação acordou ainda que o Flu receberá 10% da diferença entre o pago e o recebido pelo Watford em uma futura venda. João Pedro irá para a Inglaterra em janeiro de 2020. Caso haja acordo entre as partes, ela pode ser adiada para julho.

 

Fluminense começa a pagar atrasados

Com o dinheiro, o Fluminense deu continuidade ao processo de regularizar pendências. Pagou fornecedores e salários atrasados.

A folha salaria relativa à CLT, tanto de jogadores quanto de funcionários, está em dia. A diretoria faz as contas para saber se conseguirá pagar os quatro meses de imagem ainda em atraso, o que totaliza cerca de R$ 4 milhões (R$ 1 milhão para cada mês de atraso).

O planejamento é regularizar tudo, inclusive o mês de novembro, que vence na próxima sexta-feira (quinto dia útil de dezembro). Assim como 13º salários e férias. Para isso, o dinheiro da venda de Ayrton Lucas ao Spartak terá de ser usado.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden