HOME|NOTÍCIAS|Agenor reconhece não estar "na condição física que gostaria"; Yony sonha alto no Flu
Futebol • Por Hector Werlang – GloboEsporte.com – Foto: Lucas Merçon • 11 jan 2019
Agenor reconhece não estar "na condição física que gostaria"; Yony sonha alto no Flu

O Fluminense apresentou nesta sexta-feira mais duas contratações para temporada 2019: o atacante colombiano Yony González, ex-Junior Barranquilla, e o goleiro Agenor, que estava no Guarani. Ambos assinaram por uma temporada com o Tricolor.

O primeiro a conversar com a imprensa foi Agenor, que recebeu a camisa 25. O goleiro de 29 anos falou sobre ser contratado após saída de Júlio César e respondeu sobre críticas de torcedores à sua forma física. Admitiu não estar na condição física que gostaria, creditou o ganho de peso a dificuldades pessoais e disse estar tranquilo e focado para render no novo clube.

- Eu não me encontro ainda na condição física que eu gosto. Eu vi que existiram muitas críticas sobre o meu peso. Eu me sinto muito tranquilo para falar do meu peso. Eu nunca tive problema com peso. Passei por algumas dificuldades de uns dois anos para cá. Isso me fez ganhar peso. Coisas familiares, que me pegaram desprevenido. Eu me sinto bem tranquilo. Não me considero muito acima do peso não. Sei o que tenho de fazer e onde quero chegar - disse o goleiro.

Formado nas categorias de base do Internacional, Agenor subiu aos profissionais em 2008, mas teve poucas oportunidades no clube gaúcho. Despontou em 2010 no Criciúma, ao ser o grande nome da campanha que fez a equipe catarinense conquistar o acesso à Série B do Brasileirão e se destacou também no Joinville em 2015. Vendido ao Sport, foi reserva do titular Magrão e seguiu para o Guarani em 2018, onde disputou 17 jogos até o fim da temporada e sofreu 13 gols, tendo se destacado na Série B.

 

Confira mais declarações de Agenor:

Chega para brigar para ser titular?

Eu me sinto preparado, sim, para disputar posição. Venho trabalhando ano a ano em busca de oportunidade para voltar a um time grande. Para mostrar o meu potencial. Ela chegou. Sei da responsabilidade que é estar aqui e do histórico do clube nessa posição. Vou trabalhar bastante para ganhar uma oportunidade, ter sequência e demonstrar meu futebol.

 

Vai substituir o Júlio César?

Acho que a situação do Júlio César... o Diego Cavalieri teve uma sequência muito grande. Depois, o Júlio teve a dele. Eu venho em busca da minha. Todo o jogador busca isso. Sei que terá concorrência aqui. Isso é bom, acho que eleva o trabalho de todo mundo. Vou trabalhar e, quando tiver uma oportunidade, poder ajudar o clube.

 

Como está a situação física?

Eu não me encontro ainda na condição física que eu gosto. Eu vi que existiram muitas críticas sobre o meu peso. Eu me sinto muito tranquilo para falar do meu peso. Eu nunca tive problema com peso. Passei por algumas dificuldades de uns dois anos para cá. Isso me fez ganhar peso. Mas o Fluminense me abriu as portas. Não cheguei aqui porque estou fora de forma. Cheguei aqui por conta do meu trabalho. Espero me doar ao máximo aqui para conquistar os objetivos.

 

Que dificuldades foram essas? Qual o seu peso ideal?

Foram dificuldades pessoais que eu passei. Coisas familiares, que me pegaram desprevenido. Eu me sinto bem tranquilo. Não me considero muito acima do peso não. Sei o que tenho de fazer e onde quero chegar. Espero tirar o máximo de proveito dos meus companheiros e do clube para que eles possam me cobrar rendimento dentro de campo.

 

Estilo de jogo de Fernando Diniz

É um cara fantástico. Ele tem uma maneira de trabalhar diferente da maioria dos treinadores. Eu me sinto preparado e gosto desse estilo. Ao longo da minha carreira, em 80% do meu trabalho eu joguei dessa maneira, adiantado e com os pés. É claro que isso necessita de treinamento para aperfeiçoar os movimentos do goleiro e dos demais jogadores. Isso tem de ser sincronizado para que possa chegar lá na frente e a gente possa fazer o gol.

 

Por qual motivo escolheu o Fluminense?

É claro que acompanho as notícias. Mas eu em momento algum perguntei qual era a situação financeira. Sempre deixei claro que era um desejo meu estar aqui. Já faz alguns anos que eu tenho o desejo de jogar no Fluminense. Não começou no ano passado quando tentaram me contratar. É de mais tempo. Fico feliz pela oportunidade. Fico feliz pelo Diniz ter me ligado. Eu poderia ter trabalho com ele em outras oportunidades e não tinha dado certo.

 

Lançado no Inter por Abel Braga

Ele me lançou no Inter, trabalhei com ele por duas oportunidades aqui. Quando ele tentou me trazer para o Fluminense, não deu certo. Fico feliz de estar agora aqui. Espero que possa dar o meu melhor.

 

Yony González: "Sou um jogador rápido"

Em seguida, foi a vez de Yony González, que vestirá a camisa 11. Finalista da Sul-Americana 2018 pelo Junior Barranquilla, o atacante de 24 anos conta que acompanhou a semifinal do Fluminense contra o Athletico, que acabou vencendo o time colombiano na decisão. Apelidado de "Speedy González", o personagem de desenho animado conhecido como "Ligeirinho" no Brasil, o jogador falou de suas características:

 

- Sou um jogador rápido e que gosta de jogar pelos lados. Não tenho dificuldade de atuar pela direita ou pela esquerda. Também conheço a função de centroavante, joguei assim na final contra o Atlhetico. Sou rápido, tenho drible e gols. Acho que tenho ainda um bom jogo aéreo. Espero poder demonstrar isso aqui no Fluminense.

Revelado pelo Envigado, modesto clube da Colômbia, Yony González alcançou destaque por sua passagem pelo Junior Barranquilla. Pelo seu último clube, o atacante disputou 99 partidas e anotou 16 gols. Em 2018, apesar de não ter sido titular absoluto do time, teve participação importante na conquista do campeonato colombiano, tendo feito, inclusive, o gol do título na final. Quase foi também o herói da Sul-Americana, ao sofrer um pênalti na prorrogação da final contra o Athletico. Mas seu companheiro Barrera desperdiçou a cobrança e o time paranaense acabou campeão.

 

Confira mais declarações de Yony González:

Conhecimento de Fluminense

Eu tive a oportunidade de assistir ao jogo contra o Atlhetico pela Sul-Americana no ano passado. O Fluminense é uma equipe grande do Brasil. Tem muita história. Eu já assisti alguns jogos e vi que aqui há bons jogadores. Lamentavelmente, no ano passado não se alcançou o resultado que queria. Mas temos a oportunidade de levar o Fluminense para as primeiras posições. Quero ajudar e marcar muitos gols. E quiçá ser campeão.

 

Único estrangeiro no grupo com saídas de Sornoza, Cabezas e De Amores

Não me preocupa. Sou tranquilo com isso. O Mateus (Gonçalves, atacante) fala espanhol e eu entendo um pouco de português. A adaptação não será problema.

 

Chegada e objetivos na temporada

Conheço o Fluminense tem muito tempo. Os meus companheiros me receberam muito bem. Vamos trabalhar para sermos campeões aqui em 2019.

 

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE